O Dia Mundial do Cérebro 2021 é dedicado à esclerose múltipla
Dicas de saúde Médico na Tela Para o corpo Telemedicina

Esclerose Múltipla: atenção precoce pode fazer toda diferença

O Dia Mundial do Cérebro 2021 é dedicado à esclerose múltipla

Em 2021, o Dia Mundial do Cérebro é dedicado à esclerose múltipla

Mesmo com os avanços da tecnologia, ainda hoje não há um computador que consiga igualar a complexidade do cérebro humano. Responsável pelas principais funções do organismo, zelar pela saúde dessa “máquina” é fundamental. E foi para sensibilizar as pessoas sobre a importância do bom funcionamento do cérebro que a Federação Mundial de Neurologia criou o Dia Mundial do Cérebro, que desde 2014 acontece todo 22 de julho. Este ano, o tema escolhido é esclerose múltipla.

O objetivo da data em 2021 é  fomentar o debate e levar o esclarecimento sobre esta doença neurológica que afeta cerca de 2,8 milhões de pessoas de todas as idades, em todo o mundo. O conhecimento a respeito da esclerose múltipla facilita um diagnóstico precoce, acelerando o acesso a tratamentos que favorecem a qualidade de vida não apenas de quem vive com a doença, mas também de seus cuidadores. 

O que causa a esclerose múltipla 

Podendo apresentar uma variedade de sintomas, as causas da esclerose múltipla (EM) ainda não são completamente conhecidas. Sabe-se que a doença varia muito de pessoa para pessoa e que cada caso tem seus fatores predominantes, sejam ambientais – falta de vitamina D, tabagismo, obesidade e até localização geográfica – ou imunológicos, como uma resposta imune anormal dos linfócitos T e B. Quando isso acontece, há uma perda de mielina – substância que facilita a rápida comunicação entre os neurônios – o que isola os nervos, danificando o cérebro e a medula espinhal. 

Assim, podem surgir problemas como fadiga, fraqueza muscular, problema de visão, além de sintomas cognitivos e emocionais. O diagnóstico precoce e o acesso ao tratamento visam interromper a progressão da esclerose. Isso é vital para a qualidade de vida do paciente e o correto acompanhamento da sua condição.

Importância de falar sobre a doença

A esclerose múltipla não tem cura, mas é possível falar em ações preventivas e também em como tratar seus sintomas. E é por isso que uma discussão ampla sobre a doença é tão importante.

Como falamos acima, pessoas com baixos níveis de vitamina D, fumantes e obesos têm maiores chances de desenvolverem a EM. Então, uma maior exposição ao sol (o que aumenta a produção da vitamina D), evitar os cigarros e o sobrepeso – principalmente no período entre a infância e os 20 anos – podem ajudar a prevenir a esclerose múltipla. 

Mas também é importante falar sobre o que fazer quando a EM já foi diagnosticada. Os progressos feitos no sentido de melhorar as opções de tratamento permitiram que a evolução da doença seja pausada. Milhões de pessoas vivem hoje com esclerose. Aumentando a conscientização sobre a patologia e seu impacto sobre o paciente e seus familiares, aumenta também a qualidade de vida dessas pessoas. 

Tratamento da esclerose em tempos de pandemia

Para que a esclerose múltipla seja tratada da melhor forma, é fundamental o acompanhamento desde a descoberta da doença. Monitorar, se comunicar com o paciente e ter uma rotina de consultas é indispensável. 

No entanto, por serem pessoas com maior possibilidade de contrair a forma mais severa da COVID-19, a necessidade da telemedicina se faz presente nesse contexto. Para criar uma conexão mais próxima, a recomendação do Grupo de Estudos da Esclerose Múltipla da Sociedade Portuguesa de Neurologia, é que a videoconsulta seja utilizada preferencialmente no lugar da teleconsulta. 

A Colo da Mãe tem o cuidado para quem precisa de medicina à distância

Quem não pode ficar sem aconselhamento médico mesmo em tempos de restrições sociais pode contar com a Colo da Mãe: os titulares dos seus planos têm o Médico na Tela, assistência de telemedicina da SulAmérica. O serviço garante o acesso ilimitado à consultas por videoconferência, 24 horas por dia e sete dias por semana. 

Ao sentir um dos mais de 40 sintomas cobertos, é só ligar, falar com um especialista e pegar sua receita médica, caso necessário. Tudo isso por mensalidades a partir de R$16,48! Saiba mais sobre os benefícios do Médico na Tela e da nossa tripla proteção no nosso site: http://www.colodamae.com.br.

Você também pode gostar...